domingo, 10 de abril de 2011

Eu amo Sapos!

É. Eles quase sempre causam nojo nas mulheres, não parecem serem dignos da nossa confiança e nunca parecem uma boa opção, mas, ainda assim, eu amo sapos! Agora me surgiu uma dúvida, porque provavelmente você, se for mulher (e homem também, porque não?) que está lendo (ou que não está lendo, sendo assim um mero fantasma do Cometa de Ideias) torceu o nariz e provavelmente está se perguntando se eu sou maluca; Pois então, estamos falando da mesma coisa?

Estou falando daquela frase clássica que se refere ao homem errado enquanto esperamos o príncipe. Eu, particularmente, prefiro os sapos. Conheço alguns sapos, já me diverti e me divirto muito com os sapos e eles são infinitamente mais divertidos. Até porque esse príncipe que as mulheres tanto esperam não vem apenas uma vez na vida, não é mesmo? Algumas podem até acreditar que sim, mas eu acredito em vários príncipes, assim como eu prefiro me divertir com os sapos a me aninhar no príncipe.

Acho que pode ter a ver com os príncipes que eu já conheci ou com os candidatos a príncipe que já passaram pela minha bancada de júri... Sempre tem a ver, na verdade. Mas existe essa coisa impregnada na sociedade de que os sapos são apenas para se divertir e eu concordo, porque no momento em que a gente passa a não se divertir com o sapo, transformamos ele em príncipe. Eu não quero um príncipe porque ele sempre vai vir carregado daquela aura bonitinha de contos de fadas. E que princesas se divertem nos contos de fadas?

Eu quero ser a Bela, de A Bela e a Fera, por falar nisso. Já comentei por aqui, minha princesa favorita que entrou de gaiato na realeza por culpa do sapo. Ops, Fera. Mas apesar de tudo o sapo divertido virou o príncipe acomodado... Não quero mais ser a Bela então, quero ser a Paris Hilton. Não, por conta das notícias mais recentes, eu quero ser a Taylor Swift. Essa sim sabe se divertir com os sapos que encontra pelo caminho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se sinta à vontade para comentar o que quiser sobre o artigo lido, apenas mantenha o respeito às pessoas.