domingo, 22 de abril de 2012

O problema da convivência.

Um amigo disse a seguinte frase numa tarde dessas: “não há amor que resista a convivência” e eu, mais do que prontamente, completei: “esse é o meu medo”. Eu nunca gostei da convivência, sempre tentei evitar encontrar um parceiro todos os dias, trabalhar com ele, estudar com ele, porque eu sei que eu enjoaria da pessoa, diria coisas que eu não queria e poria em risco a relação. Eu dou razão ao meu amigo, mas ao mesmo tempo fico pensando no futuro. Será verdade mesmo, que uma relação começa a acabar quando a convivência começa?