terça-feira, 13 de agosto de 2013

Joss Stone, uma inspiração Pt.2

Faz quase dois anos que eu escrevi um post em que falava sobre Joss Stone ser uma inspiração para a minha vida e eu posso dizer que algumas coisas mudaram desde então. Eu fiz vinte e três anos, me formo no fim do ano na faculdade, tenho a pretensão de iniciar outra faculdade no final do ano, nesse ano ainda será lançado um livro de contos com um conto de minha autoria, Joss lançou mais dois álbuns, fez mais shows no Brasil (cancelou o de Porto Alegre, no entanto, então eu não pude vê-la) e fez vinte e seis anos. A única coisa que não mudou foi o fato de que ela continua sendo a minha inspiração de vida, uma pessoa em quem eu me espelho completamente.

E pensando bem, não foram só os itens da lista citada acima que mudaram. Na verdade, enquanto eu pensava sobre escrever essa espécie de update para aquele antigo post, eu percebi que a minha percepção sobre a Joss mudou bastante; não exatamente mudou, mas aumentou. Talvez seja porque eu esteja vendo muito mais entrevistas dela (graças ao meu crescente conhecimento de inglês que me anima a ver entrevistas sem legenda), mas parece que o meu entendimento sobre a personalidade dela se expandiu e me mostrou ainda mais motivos para eu tê-la como modelo.


Algumas coisas são permanentes, como o amor que a Joss tem pelas coisas que ela faz, pelo talento incrível com o qual ela foi abençoada e pela determinação que ela tem de correr atrás do que ela quer... Só que vendo essas entrevistas, eu consigo ter uma visão melhor do todo. Eu consigo entender porque ela quebrou o contrato com a EMI, eu entendo porque ela não se importa com dinheiro desnecessário e entendo porque ela está sempre sorrindo, está sempre esbanjando alegria. Não é em vão, ela trabalha nisso. E eu entendi isso assistindo uma entrevista em que ela diz (não exatamente nessas palavras): "O meu indicador de sucesso é o meu sorriso. Se eu estou sorrindo 90% do tempo, eu sou uma pessoa bem sucedida".

Se isso não é um motivo para ela ser uma inspiração, eu não sei mais o que é!

Não é à toa que a Joss está sorrindo o tempo inteiro, que está sempre feliz e satisfeita com ela mesma. Não é à toa, é porque ela tem uma filosofia de vida muito clara: ela quer ser feliz, não importa os sacrifícios, so just leave her alone. Também não é por sorte ou capricho do destino que ela é dona de sua própria gravadora, faz shows onde quer e grava as músicas que bem entender. Joss luta por essa liberdade, ela é um exemplo de determinação e é um pouco disso que eu quero para a minha vida. Eu tento sempre trazer o melhor da Joss para a minha vida, de modo que eu consiga sorrir 90% do tempo.


Certamente esse post terá uma terceira parte; quem sabe daqui a dois anos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se sinta à vontade para comentar o que quiser sobre o artigo lido, apenas mantenha o respeito às pessoas.