quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

[poesia] O brilho da escuridão

Era uma noite sem lua
As luzes da cidade serviam para iluminar meu quarto
Essas luzes brilhavam como estrelas
Estrelas em terra
Estrelas no chão
Pontos amarelos e brancos que se multiplicavam
Mas estrelas não se dividiam
Estrelas apenas nasciam
Eram como pessoas aquelas luzes, então
Pessoas se multiplicavam
Pessoas povoavam lugares vazios
Aquela era uma noite sem lua
As luzes da cidade cobriam a visão da minha janela
Pontos amarelos e brancos que conquistavam a escuridão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se sinta à vontade para comentar o que quiser sobre o artigo lido, apenas mantenha o respeito às pessoas.