quinta-feira, 20 de março de 2014

Filhinhus dimamaes, uma espécie que precisa de extinção

Existe uma espécie de ser humano que é especialista em camuflagem e em ideias retrógradas quanto à tarefas domésticas, valores morais e papeis dos gêneros na sociedade. Os exemplares dessa espécie não são tão fáceis de serem encontrados por causa de sua inacreditável habilidade de fingirem ser o que não são, mas basta algum tempo de convivência para que a gente consiga fazer o diagnóstico certo. Não é extremo dizer que os Filhinhus Dimamaes são uma espécie parasita e uma praga da sociedade, pois, apesar do poder de camuflagem, eles são responsáveis por uma influência muito negativa no meio em que vivem. Para os Filhinhus Dimamaes, todo o ecossistema em que estão inseridos gira em torno deles e tudo o que está fora do tal ecossistema, ou funciona de maneira diferente, não presta, então eles acreditam que têm o dever de mostrar ao mundo como tudo é lindo no seu ecossistema, impondo a realidade que conhece a outras espécies.

Filhinhus Dimamaes não são raros, apesar da complexidade de suas existências. Todos nós já conhecemos um exemplar dessa espécie, e acho que especialmente as mulheres são as maiores conhecedoras dos costumes desse parasita, porque a forma mais comum de fazer o diagnóstico é através de um relacionamento amoroso. Eles normalmente se aproximam de nós sob a forma de namorados ou maridos e apresentam sua forma de mundo, tentando nos convencer a pensar como eles, mas ele quase nunca são bem sucedidos. É, eu já conheci um Filhinhus Dimamaes e não recomendo a ninguém.

Sabe aquele cara que ainda mora na casa dos pais que, quase sempre, é o filho preferido, aquele de quem a mãe, claramente gosta mais? Sabe aquele cara que nunca compra nada para a casa, quase nunca está presente e faz questão de nunca lavar uma faca que usou? Sabe aquele cara que acha que a roupa de cama se lava sozinha e que o quarto se limpa sozinho? Sabe aquele cara que adoraria ser pai, mas que não pode ouvir falar em fralda suja ou choro de madrugada? Sabe aquele cara que "gosta" de cozinhar, mas que acha que cozinhar todo o dia é chato? Sabe aquele cara que pensa no futuro, em casar e em constituir família, mas tem todas as caracteristicas citadas acima?

Se você respondeu "sim" para todas as perguntas, infelizmente, você já teve o desprazer de conhecer um Filhinho da Mamãe (filhinhus dimamaes)! Um cara que nunca fez nada por si próprio na vida e que acha que as tarefas domésticas são responsabilidade da mulher, então elas passam da mãe dele para a namorada/esposa, naturalmente. Ele também acha que as coisas funcionam muito bem dessa maneira e que é exagero querer mudar qualquer coisa... Dividir tarefas domésticas? Rá, nem a pau, eu nunca fiz nada na vida e não é agora que eu vou fazer! Criar filhos? Só pelo prazer de exibir uma criança na rua e ganhar presente no Dia dos Pais, claro!

Infelizmente, mesmo a essa altura do campeonato, nenhum biólogo encontrou uma maneira de mudar os modos de viver do Filhinhus Dimamaes, então a única maneira de tentar dar um fim nesse parasita é passar adiante. Corte o mal pela raiz e termine antes que ele domine o seu ecossistema e te transforme na mãe dele. Corre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Se sinta à vontade para comentar o que quiser sobre o artigo lido, apenas mantenha o respeito às pessoas.