sábado, 18 de abril de 2015

Dia 14 #30DiasdeDesafiodeEscrita

Olá!

Finalmente, eu vou continuar esse desafio. Não sei porque eu empaquei e não escrevi mais nada, de repente porque o tema desse décimo quarto dia é escrever sobre um super-herói voltando do lado negro da força. BORING. Desculpem, mas foi um saco me manter no tema e eu acho que a coisa ficou mais confusa do que boa, mas tudo bem... Abaixo o meu resultado:

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Dia 13 #30DiasdeDesafiodeEscrita

Olá!


Queria começar esse post dizendo que eu inverti os dias 13 e 14 do desafio porque eu queria escrever a lista antes de escrever sobre o super-heroi. Então, o dia 13 desse desafio vai ser a elaboração de uma lista de quinze itens intitulada "COMO SER...". Eu comecei várias vezes essa lista, com os mais diversos temas, mas nenhum foi para frente. Somente ontem, eu consegui chegar ao tema perfeito, coisa que me ocorreu depois de assistir todos os videos que eu encontrei na internet estrelando minha crush da vez: Evan Peters.

Essa lista se chama "COMO SER EVAN PETERS", mas poderia se chamar "Desculpa para ver vários videos e várias fotos dessa coisa fofa". Abaixo a lista:

sábado, 4 de abril de 2015

"You Make me Hot" de The Donnas por Mariana Bortoletti

Opa!

Eu já falei bastante sobre música por aqui, mas nunca mostrei nada. Há algum tempo, desde a metade do ano passado, mais precisamente, eu venho brincando bastante com o meu violão e tem saído coisas bastante interessantes dele. O que eu mais tenho feito é brincar de criar versões acústicas de músicas que eu gosto bastante. A ideia era trazer sons pop e rock para o folk, mas eu não sou tão talentosa assim, então fica só a tentativa. O primeiro dessa série é "You Make me Hot", uma das músicas que eu mais gosto dessa banda que foi super importante para mim há alguns anos.



E, de novo, nada disso é para ser levado tão a sério.

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Dia 12 #30DiasdeDesafiodeEscrita

Olá!

No desafio de hoje, eu deveria imaginar a vida de uma mulher sendo drasticamente mudada no intervalo de três minutos. Eu sou daquelas que acredita que "em segundo tudo pode mudar", mas a minha personagem não. Foi um texto fácil de escrever (o mais difícil foi fechar em 500 palavras, como sempre), mas que tomou um rumo só dele. Quando eu vi, ele já estava escrito, pragmático e desilusório como só ele conseguiu ser. Abaixo o resultado tenso e que eu espero que nunca aconteça comigo: